ABUTRE-PRETO

Aegypius monachus

BIOMETRIAS

Comprimento 100-115 cm

Envergadura 250-295 cm

Peso 7 a 12,5 kg

Identificação

 

É uma ave enorme! À distância, o seu tamanho é notório. Apresenta uma plumagem muito escura e as suas asas são longas e largas, com “dedos” compridos. Em voo, a cabeça e a cauda apresentam-se curtas. A cor das patas é geralmente cinzento-claro. Plana no céu em círculos e desliza com as asas muitas vezes com as partes exteriores arqueadas para baixo.

 

Onde ocorre

 

Em Portugal, esta espécie pode ser encontrada na Beira Baixa/Nordeste Alentejano e Baixo Alentejo. Em 2012, foi registado o aparecimento de um casal no Parque Natural do Douro Internacional, que lá se mantém, o que sugere o aparecimento de um novo núcleo nesta área. O abutre-preto é uma espécie residente. Apesar de não ser uma espécie migradora, os indivíduos juvenis efetuam movimentos dispersivos, sendo que, na zona sudoeste do país, se registam efetivos que variam entre os 3 e os 15 indivíduos anualmente.

 

Onde vive

 

O habitat preferencial do abrute-preto são regiões remotas de difícil acesso e pouco humanizadas. Normalmente vive em locais com extensas manchas florestais ou matagais arborizados.

 

O que come

 

Esta ave é quase exclusivamente necrófaga e raramente captura presas vivas. Alimenta-se principalmente de carcaças de médio e grande porte como ovelhas, cabras e vacas. O abutre-preto pratica, com o grifo, um sistema cooperativo de procura de alimento. Esta espécie encontra-se associada às zonas de aproveitamento silvo-pastoril, onde ocorre a criação extensiva de gado bovino e ovino. Os abutres aproveitam as correntes de ar térmicas para voarem a grande altitude para procurar alimento.

 

Como vive

 

O abutre-preto nidifica quase exclusivamente em árvores e raramente em penhascos e, como a maioria dos outros abutres, é monogâmico. Normalmente, é no topo de árvores que faz o seu ninho. Para nidificar, procura terrenos mais afastados e tranquilos, preferindo matagais arborizados, muitas vezes em áreas montanhosas ou em vales de rios. De uma forma geral, esta espécie reutiliza os seus ninhos de ano para ano.

A relação entre os membros do casal é de longa duração, podendo mesmo ser para toda a vida. Ambos os progenitores cuidam e alimentam a cria. Põe apenas um ovo por época reprodutiva. Durante o período reprodutor, o abutre-preto desloca-se normalmente numa área até cerca de 80km em redor do local de nidificação.

Os casais normalmente passam as noites nos ninhos, mesmo fora da época de reprodução. Têm ainda o hábito de pernoitar em rochas ou em árvores próximas do local onde se estiveram a alimentar, para continuar a refeição na manhã seguinte.

 

Estatuto de conservação e ameaças

Por ter uma população extremamente reduzida, o abutre-preto está classificado como “Criticamente em Perigo” em Portugal.

As principais ameaças à conservação desta espécie são: mortalidade por envenenamento ou por colisão ou eletrocussão, abate ilegal, redução da disponibilidade de alimento, degradação do habitat de alimentação e de nidificação e perturbação humana.

Contactos

Antiga Escola Primária, 5230-232 Uva (Vimioso)

+351 92 686 27 70​

palombar@palombar.pt

  • Black Facebook Icon

2018 Palombar